CONCENTRAÇÕES SANGÜÍNEAS DE LACTATO (CSL) DURANTE UMA CARGA CONSTANTE A UMA INTENSIDADE CORRESPONDENTE AO LIMIAR AERÓBIO-ANAERÓBIO EM JOVENS ATLETAS

RESUMO

Tem sido assumido que a carga correspondente a uma concentração sangüínea de lactato (CSL) de 4 mmol/l, determinada a partir do limiar aeróbio-anaeróbio, pode ser mantida em adultos durante o teste constante de 30 min (“steady-state” CSL). A escassez de estudos que confirmem se tal fenômeno ocorre em jovens atletas, poderá justificar a possibilidade de considerar CSL diferentes para avaliação e desenvolvimento da capacidade aeróbia nesta população. Os objetivos do presente estudo foram: a) investigar a existência de um “steady-state” das CSL durante uma carga constante de 30 min (realizada a uma intensidade correspondente a 4 mmo/l) em jovens atletas; e b) verificar a existência de possíveis diferenças intra-individuais nas CSL durante o teste. Treze jovens atletas (idade: 16,07 ± 1,38 anos; massa: 61,0 ± 6,69 kg; 171,0 ± 5,6 cm) realizaram um teste incremental e um teste de carga constante. O teste incremental foi utilizado para determinar a carga correspondente a uma CSL de 4 mmol/l (V4). Três dias depois os sujeitos realizaram um teste de carga constante de 30 min a uma intensidade correspondente à V4 previamente determinada. No decorrer de ambos os testes foram recolhidas amostras de sangue capilar do lóbulo da orelha e imediatamente analisadas num analisador sangüíneo enzimático (YSI 1500 L – Sport) para determinação das CSL. Durante o teste constante, as amostras sangüíneas foram recolhidas aos 5o., 10o., 15o., 20o., 25o. e 30o. min. Como procedimentos estatísticos foram utilizados, para além das medidas descritivas, (média e desvio padrão), a análise de variância de medidas repetidas. O valor médio da V4 foi 3,9 ± 0,28 m/s. Dois dos 13 sujeitos foram incapazes de terminar o teste de 30 min (CSL finais de 9,82 e 7,25 mmol/l, respectivamente). De acordo com o critério de Heck et alli (1985c) os restantes sujeitos completaram o teste com CSL médias de 4,15 ± 1,11 mmol/l. As CSL médias nos diferentes momentos (5o., 10o., 15o., 20o., 25o. e 30o. min) do teste constante foram, respectivamente: 4,21; 4,50; 4,67; 4,57; 4,87 e 4,25 mmo/l. Não foram observadas diferenças significativas nas observações repetidas (F(5, 6) = 1,035; p = 0,474), indicando a inexistência de diferenças intra-individuais nas CSL durante o teste de 30 min. Deste modo, concluímos que a carga correspondente a uma CSL de 4 mmol/l pode ser suportada, por jovens atletas, em condições de “steady-state”. Os resultados sugerem que o referencial láctico a adotar na avaliação e treino da capacidade aeróbia em jovens não parece diferir do utilizado em adultos.

Exercicio_aerobico_lactato

Os radicais livres e o dano muscular produzido pelo exercício: papel dos antioxidantes

RESUMO

O exercício físico intenso e contínuo é acompanhado pela produção de radicais livres, que provocam uma alteração das membranas celulares, o que causa uma lesão acompanhada por um processo inflamatório ao nível das fibras musculares. Várias causas foram sugeridas para estas alterações, entre as quais o alto grau de estresse provocado pelo exercício, alterações da microcirculação, produção de metabólitos tóxicos e depleção intramuscular dos substratos energéticos.
O rápido desenvolvimento da lesão das fibras musculares e do tecido conjuntivo é acompanhado por uma disfunção e migração de componentes intracelulares para os espaços intesticial e plasmático. O dano muscular está associado com aumentos dos níveis plasmáticos de creatinoquinase (CK) e de lactato desidrogenase (LDH), o que serve como indicador do aumento da permeabilidade celular resultante. A formação de radicais livres e o desencadeamento do processo de peroxidação também contribuem para o dano muscular. Embora o papel do exercício na produção da radicais livres não esteja ainda bem esclarecido, um grande número de autores sugerem que a elevação do consumo de oxigênio durante o exercício induz a produção de radicais livres e outras substâncias oxidantes.
Recentemente, na literatura foi demonstrado que as vitaminas A (beta-caroteno), E (tocoferol) e C (ácido ascórbico), junto com minerais como o zinco (Zn), atuam como agentes protetores antioxidantes.

Antioxidantes_radicais_livres_dano_muscular

EXTRATO DE ROMÃ

Rico em antioxidante, suas propriedades terapêuticas estão diretamente ligadas à concentração de seus polifenóis. O extrato de romã também atende pelo nome comercial de Pomegranate.

O Pomegranate é rico em Elagitaninos hidrolisáveis. Ao se hidrolisarem, liberam moléculas de ácido elágico que atua como antioxidante e adjuvante no tratamento de neoplasias. Protegem as células endoteliais dos vasos sanguíneos contra o dano oxidativo, atuam como cardioprotetor e previnem a aterosclerose.

Estudos recentes também o indicam como agente quimioprotetor e adjuvante no tratamento do câncer de mama. Reduz a pigmentação causada pela radiação UVB (melasma), principalmente sendo associado com vitamnina C.

GRAVIOLA

Annona muricata L., conhecida como Graviola, tem sua origem registrada nas Antilhas, onde até hoje se encontra em estado silvestre. Com uma composição agregada de taninos, pectinas, vitaminas e açúcares. Existem estudos que revelam que o fruto possui propriedades analgésicas, aplicando também como adjuvante no tratamento de depressão e ansiedade.

Devido à presença de seus constituintes, a graviola possui propriedades que auxiliam desde a manutenção da saúde à manutenção da beleza.

A vitamina C confere ao fruto a ação antioxidante, antiinflamatória, antiinfecciosa, antiescorbútica, antiesclerótica e auxilia na formação do colágeno.

O cálcio, fósforo e as fibras apresentam diversas funcionalidades fisiológicas contribuindo positivamente para o bom funcionamento do organismo. O cálcio atua na ativação de enzimas, o fósforo no metabolismo de proteínas, gorduras e carboidratos e as fibras auxiliam na função intestinal, ajudando também a controlar o nível de colesterol e de glicemia.

AFTAS

Normalmente conhecida como úlcera da membrana bucal, as aftas aparecem como pequenas e doloridas protuberâncias brancas ou amareladas. Provocam dor aguda nos primeiros dias, duram cerca de uma a duas semanas e cicatrizam sem causar menores problemas. Aftas maiores podem durar mais tempo e podem ser acompanhadas por fadiga, febre e inchaço dos gânglios linfáticos. Embora a causa das aftas seja desconhecida, os médicos acreditam que o problema possa ser uma reação imunológica anormal ou uma infecção viral. Em casos mais raros, as aftas podem ser um sintoma de um distúrbio sistêmico, como reações alérgicas a alimentos, anemia, doença celíaca, doença de Chron ou lúpus.

Deficiência de ferro, vitamina B12 a ácido fólico também foram associadas a uma maior propensão a aftas.

Ao aparecerem as aftas, evite qualquer alimento ou bebida que possa irritar as úlceras como bebidas quentes, álcool, alimentos salgados ou condimentados e alimentos ácidos.

Coma bastante carnes magras, legumes, frutas secas, cereais e outros alimentos ricos em ferro; verduras de folhas verde-escuras, germe de trigo e legumes com ácido fólico; produtos magros derivados de animais, para obter vitamina B12.

ACNE

É uma doença de pele, com frequência maior na adolescência quando o nível elevado de hormonios sexuais causa o aumento da secreção de sebo pelas glândulas sebáceas, provocando o aparecimento de espinhas, bolhas e pontos negros principalmente no rosto, costas, peito e ombros.

Às vezes, os poros bloqueados se infeccionam aparecendo bolhas cheias de pus. Muito comumente se coça ou espreme essas bolhas, causando o agravamento da infecção e deixando cicatrizes ou manchas.

Comedão: é a lesão mais característica da acne. O comedão fechado é de difícil visualização, sendo uma elevação cutânea de cor embranquecida ou amarelada. O comedão aberto costuma não ser elevado. No entanto, pode se apresentar como uma pequena elevação dura de cor preta, devido à oxidação da superfície do sebo.
Pápula: é a inflamação do comedão, que se torna avermelhado e aumenta de tamanho de 1 a 4 milímetros. É dolorosa e se desenvolve principalmente do comedão fechado. O comedão aberto se inflama quando manipulado sem assepsia.
Pústula: é a evolução da pápula, com elevação da pele em uma bolsa de pus de profundidade variável, acompanhada de coceira e dor.
Nódulo: é uma lesão profunda, coberta por pele normal que evolui até a inflamação e termina com a formação de cicatrizes.

COMA BASTANTE frutas, verduras frescas e legumes para obter betacaroteno e vitamina C; Frutos do mar, carnes magras, aves, iogurtes e grãos integrais para ingerir zinco e vitamina B6.

TENTE EVITAR suplementos de algas marinhas, altas doses de vitamina B6 e B12. Apesar da inexistência de muitos estudos que relacionam a acne com ingestão de alimentos com alto índice glicêmico ou carga glicêmica, é bom evitar a ingestão excessiva destes alimentos.